Inspiração J u n \ 17 E d i t i o n.

Tatuagem: A união entre arte e corpo…

 

Arte pode ser expressa de qualquer forma. Não se limita apenas em uma tela e pincel. As possibilidades são inúmeras e estão em cada manifestação (ou tentativa dela) em nosso cotidiano. Atualmente vivenciamos um momento onde o número de artistas tatuadores vem crescendo consideravelmente, aumentando inclusive as variações e possibilidades da área. Quando escolhemos falar de arte aqui no Com Café foi inevitável não buscar essa forma de expressão tão presente no nosso dia a dia. E para falar com mais propriedade sobre esse assunto, fomos atrás da Manuela Leite, responsável por trabalhos incríveis para falar mais sobre como é viver e trabalhar com arte.

  1. Como você vê sua arte e como você se descobriu nesse universo?

O que produzo hoje faz parte de mim mesma, é como respirar. Sempre gostei de desenhar, com o tempo esta atividade foi virando uma forma de meditação e de viver. Quando precisava esvaziar a cabeça, ou raciocinar sobre algum assunto, virava uma folha de papel e começava a desenhar. Com o tempo produzi uma pequena série de desenhos sobre as pessoas que via na rua #respirøcinza e algumas pessoas se interessaram, assim veio o primeiro clique. Mas nem pensava que um dia iria tatuar, achava que meus desenhos não podiam ser tatuados em razão do tipo de traço. Até conhecer @jptattoo, um tatuador de Salvador que traz muito elementos do lápis para a tatuagem. Quando linquei as duas possibilidades foi amor a primeira vista! Descobri a essência do que eu queria e poderia fazer.

  1. Você acha que há espaço para profissionais dentro do ramo das tattoos? É um espaço democrático ou bem individual?

A minha experiencia foi bem democrática, entrei em contato com JP e ele me recebeu de braços abertos, foi o meu mestre e aprendi muito no @estudiotattooarte com @jptattoo, @guimaraesbeto, @rickcedraz, @jeltattoo e @gabrieladroguett. Mas já ouvi muitas histórias de gente que não teve a mesma sorte.

O mercado de tatuagem está mudando muito, você vê traços novos, desenhos malucos, novas técnicas toda hora. O que me leva a pensar que com ética e responsabilidade, tem espaço pra todo mundo.

  1. Você é feliz trabalhando com arte? Quais dificuldades você enfrentou ou enfrenta atuando nesta área?

 Sou extremamente feliz! Costumo até dizer que não trabalho mais, agora só tatuo e é isso mesmo, não sinto que é trabalho, termino o dia as vezes cansada, mas extremamente feliz.

Adoro trabalhar com gente e o melhor de tudo é a oportunidade de juntar as duas coisas. Acho que dei sorte, porque não me lembro de passar por nenhuma situação desagradável. Só alegria!

  1. Qual conselho você daria para quem também quer adentrar esse espaço e começar a trabalhar com tatuagem?

Procure profissionais que você respeita e tente trocar uma ideia, as vezes isso rende um “estágio”. Se mostre interessado. Além da preocupação com a tattoo, existe toda uma preocupação com biossegurança! Isso é extremamente importante para os seus clientes e, principalmente, pra você que lida com várias pessoas por dia. No começo não vai ser fácil, mas insista, o tempo traz tranquilidade e projetos cada vez mais interessantes. desenhe, desenhe, desenhe . Faça para e por você. Faça muito, ame muito o que você faz, os resultados profissionais de seu trabalho e o reconhecimento, são consequências. Não vai ser fácil, mas faz parte do pacote 😉


Agradecemos imensamente a Manu pela entrevista! E se você amou o trabalho dela assim como nós, entre em contato com ela via direct no insta @respiroink.

No Comments

Leave a Reply